Derrubando os 5 maiores mitos sobre Alexa

Published:

Esclarecendo equívocos comuns sobre como Alexa funciona, desde como a privacidade dos consumidores é protegida, até o gerenciamento de sua experiência

Tecnologias emergentes geralmente enfrentam ceticismo, especialmente se não estiver claro como elas funcionam ou para qual propósito elas servem, podendo, assim, serem mal interpretadas. Pensando nisso, a Amazon esclarece alguns mitos, ou seja, conceitos mal interpretados e informações equivocadas sobre o funcionamento de Alexa.

Mito nº 1 – “Alexa está gravando tudo o que eu falo o tempo todo”

Esclarecendo. Por padrão, os dispositivos Echo são desenvolvidos para gravar áudio somente após a detecção da palavra de ativação escolhida, ou se o seu botão de ação for pressionado.

Alexa é acionada apenas a partir do momento em que a palavra de ativação (as opções atuais são: “Alexa”, “Amazon” ou “Echo”) é dita por alguma pessoa presente no ambiente. Somente após o acionamento o comando realizado é enviado, de forma segura, para processamento na nuvem da Amazon. Isso é possível em razão da tecnologia denominada “detecção de palavras-chave”, presente para reconhecer a opção de ativação, identificando padrões acústicos – ondas sonoras – que correspondem à palavra escolhida. Todo o resto é ignorado. Dessa forma, nenhum áudio é armazenado ou enviado para a nuvem a menos que o dispositivo detecte a palavra de ativação. Para saber mais sobre como esta e outras tecnologias relacionadas com Alexa funcionam, acesse a página no site da Amazon – www.amazon.com.br/ativacaoalexa.

Além disso, os consumidores sempre terão como saber se Alexa está captando o que é dito. Os dispositivos Echo possuem alto-falantes inteligentes com um indicador que acende uma luz azul quando está gravando. O mesmo vale para os aplicativos e demais dispositivos com Alexa – uma barra de luz azul aparece na parte inferior da tela do celular ou TV quando Alexa está captando e enviando para a nuvem os comandos solicitados.

Por fim, os microfones podem ser desligados manualmente nos dispositivos Echo. Uma luz vermelha aparecerá quando os microfones estiverem desconectados e nenhum áudio será detectado pelo dispositivo.

 A Amazon projeta Alexa e os dispositivos Echo com múltiplas camadas de proteção de privacidade, desde controle de microfones e câmera até a possibilidade de ajustar suas preferências para como Alexa deve armazenar suas gravações de voz.

Mito nº 2 – “Não há como saber o que Alexa está gravando”

Esclarecendo. Os consumidores podem revisar seus históricos de gravação pelo aplicativo Alexa ou online e há diversas opções para gerenciar suas gravações.

Quando você fala com Alexa, sua solicitação é enviada para a nuvem segura da Amazon para que a Inteligência Artificial (IA) possa responder a você do melhor jeito possível. Você pode ver exatamente o que Alexa captou e enviou para a nuvem da Amazon por meio do aplicativo Alexa visitando Mais > Configurações > Privacidade de Alexa > Revisar Histórico de Voz, ou acessando www.amazon.com.br/privacidadealexa. Ouça o áudio que seu dispositivo gravou ou gerencie seu histórico de voz escolhendo “excluir gravações específicas” — classificando por data, dispositivo ou perfil. Você pode excluí-los todos de uma vez, excluí-los de tempos em tempos de forma programada ou não salvá-los.

Além de gerenciar suas gravações de voz, use o aplicativo Alexa para: controlar como seus dados são usados; gerenciar suas permissões de Skills; e ver o histórico dos comandos feitos e das ações efetuadas por Alexa.

Mito nº 3 – “As informações que eu compartilho com Alexa não são seguras e os hackers podem me espionar ou acessar dados por meio dos meus dispositivos”

Esclarecendo. A criptografia de dados, revisões rigorosas de segurança, juntamente com atualizações automáticas e regulares para seus dispositivos habilitados para Alexa trabalham juntos para ajudar a garantir que os dispositivos e o sistema funcionem com segurança máxima.

A Amazon, além de projetar os dispositivos e serviços com a privacidade em mente, dedica uma significativa quantidade de horas e profissionais altamente qualificados para testar e manter a segurança dos dispositivos. Isso inclui definir e validar os requisitos de hardware, realizar revisões de segurança de aplicativos, fazer a varredura automatizada de segurança para identificar rapidamente vulnerabilidades e lançar atualizações; conduzir a realização de rigorosos testes de segurança e fazer a verificação contínua para garantir a autenticidade das atualizações de software da Amazon, o que significa que as atualizações são aprovadas e vêm diretamente da Amazon. A Amazon também trabalha alinhada com especialistas de segurança internos e externos para identificar e corrigir prontamente vulnerabilidades de segurança.

Todos os dados transmitidos entre um dispositivo habilitado para Alexa e a nuvem são criptografados. Os dispositivos também recebem regularmente atualizações de segurança com as mais recentes proteções contra possíveis ameaças e vulnerabilidades, por até pelo menos quatro anos após a última data em que o dispositivo esteve disponível para compra no site da Amazon. Os clientes não precisam fazer nada para atualizar seus dispositivos – isso acontece automaticamente quando estão conectados.

Mito nº 4- “Qualquer pessoa pode usar o Drop In e espionar minha casa”

Esclarecendo. Por padrão, o Drop In está desativado. Ao optar por ativar esse recurso, você deve primeiro conceder permissões de Drop In aos seus contatos, podendo gerenciar essas permissões a qualquer momento.

O Drop In é um recurso que torna mais fácil para familiares e amigos se comunicarem uns com os outros por meio de seus dispositivos habilitados com Alexa, não importa onde estejam. Para usar o Drop In, você precisa habilitar manualmente o recurso e conceder permissões explicitamente a contatos específicos em sua lista de contatos por meio do aplicativo Alexa. Esses contatos, sejam familiares, amigos ou vizinhos, também devem ser salvos em seus contatos.

Atribua nomes aos seus dispositivos em diferentes cômodos da sua casa e tenha conversas dizendo algo como “Alexa, fazer Drop in com Cozinha”, por exemplo. Pode, ainda, comunicar-se com amigos e familiares que tenham dispositivos habilitados para Alexa dizendo algo como “Alexa, fazer Drop In com vovó”.

Saiba mais: o cliente pode acionar a função “Não Perturbe” para um ou todos os dispositivos Echo apenas dizendo “Alexa, ligar a função não perturbe”. Essa função bloqueia qualquer notificação como ligações, Drop Ins, além de mensagens para esse dispositivo. Para voltar a ativar basta dizer “Alexa, desligar a função não perturbe.”

Mito nº 5 – “A Amazon vende meus dados de Alexa

Esclarecendo. A Amazon não comercializa dados pessoais. Os dados dos consumidores permitem que a Amazon aprimore a experiência de Alexa e personalize os recursos, como por exemplo fornecendo os lembretes e resumo de notícias corretos, auxiliando também que Alexa responda com precisão a perguntas sobre os assuntos que estão em alta no momento e reproduzindo músicas favoritas do Amazon Music nos dispositivos Echo.

Somos cuidadosos em relação aos dados pessoais necessários para o funcionamento de Alexa, tendo sempre em mente nosso aviso de privacidade, que cobre as circunstâncias limitadas em que compartilhamos dados com terceiros. A Amazon não compartilha as informações pessoais de seus consumidores, incluindo os dados de Alexa.

Como usar Alexa

Alexa pode ser usada por qualquer pessoa com o aplicativo Alexa em um smartphone, na família de smart speakers Amazon Echo, com os dispositivos da linha Fire TV Stick, ou em uma variedade de dispositivos, incluindo caixas de som, fones de ouvido, Smart TVs, Claro Box TV, entre outros, que possuem integração com Alexa

Richard Max
Richard Maxhttps://richardmaxtech.com.br
Jornalista desde 2001, apaixonado por Tecnologia, escreve para ajudar as pessoas entenderem de tech de forma fãcil e descomplicada.

ÚLTIMOS POSTS