segunda-feira, julho 4, 2022

Cinco dicas para declarar criptoativos no Imposto de Renda 2022

Faltando menos de 24 horas para o prazo final da entrega do Imposto de Renda, cerca de 2 milhões de declarações ainda não foram enviadas para a Receita Federal. Muitas pessoas que possuem investimentos em criptoativos ficam com dúvidas em como declarar as moedas digitais no seu IRPF. A tarefa não é tão difícil e tão complexa quanto parece e, para facilitar a vida dos traders, separei cinco dicas para ajudar na elaboração da declaração.
Cinco dicas para declarar criptoativos no IR

  1. A declaração dos criptoativos segue o mesmo padrão de outros investimentos e bens. A Receita Federal vem facilitando cada vez mais o processo da declaração do IRPF e, nesse ano, cada criptoativo recebeu um código que deve ser seguido pelo declarante, facilitando sua declaração. Vale lembrar que NFTs e tokens também precisam ser declarados.
  2. Uma boa notícia: o investidor não paga imposto sobre a valorização das suas cripto. Para a Receita, o importante é o valor que o contribuinte pagou por elas, e não seu valor de mercado. Portanto se você adquiriu uma Bitcoin (BTC) por 200 mil reais em janeiro de 2022 e agora ela vale R$ 300 mil, não há tributação sobre o lucro obtido. Peça à sua corretora os documentos e informes de rendimentos. Eu recomendo que o investidor faça um controle próprio das suas operações e cruze os dados com os relatórios fornecidos.
  3. A declaração das criptos deve ser feita em reais, e há um valor mínimo a ser declarado, que é acima de R$ 1 mil.
  4. Fique atento ao preenchimento de acordo com a funcionalidade de cada criptoativo. A RF criou várias categorias e códigos na “Ficha Bens e Direitos”. No campo de “Discriminação”, forneça o máximo de detalhes sobre o tipo, a quantidade e o nome da empresa onde o ativo está sendo custodiado.
  5. Se o investidor vender até R$ 35 mil em criptoativos em um único mês, ele não precisa pagar o imposto, mas se as transações ultrapassarem esse valor é necessário recolher o IRPR. Vale lembrar que esse valor engloba todos os criptoativos negociados no mês, portanto, se o investido vender R$ 30 mil em Bitcoin e R$ 10 mil em Ethereum, as operações com criptoativos no período somarão R$ 40 mil, eliminando a possibilidade de isenção tributária.

O mercado de criptomoedas está se tornando cada vez mais popular no Brasil, portanto, esteja preparado para declarar seus investimentos e ganhos até hoje e não pagar multa.

Por Renata Mancini – Presidente da ABCripto

Richard Max
Richard Maxhttps://richardmaxtech.com.br
Jornalista desde 2001, apaixonado por Tecnologia, escreve para ajudar as pessoas entenderem de tech de forma fãcil e descomplicada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nas redes sociais

15,001SeguidoresSeguir
10,097SeguidoresSeguir
29,785SeguidoresSeguir
5,950InscritosInscrever
- Advertisement -

Últimos Posts